Os que seguem a JESUS

07 janeiro 2011

Pare de Chorar

E os levitas fizeram calar todo o povo, dizendo: Calai-vos, porque este dia é santo; por isso, não vos entristeçais (Neemias 8.11).
Esta mensagem precisa ser pregada com mais frequência em nossas igrejas. Os levitas leram a Palavra e explicaram o que o povo podia entender, porém, a choradeira começou. Então, eles se esforçaram, foram enérgicos e calaram o povo, pois, afinal, aquele dia era santo, e não de tristeza. Hoje, o povo tem-se tornado cada vez mais religioso e, como no passado, tem aberto a boca e chorado, achando que isso agrada a Deus. Porém, a Bíblia declara que a alegria do Senhor é a nossa força (Neemias 8.10). Sendo assim, não podemos sequer tolerar a tristeza que os pregadores de más notícias nos trazem, pois, para esses, a vida não tem valor; as praias, por exemplo, foram criadas pelo demônio, e a prosperidade é algo que provém do maligno – apesar de, no passado, terem reconhecido todas essas coisas maravilhosas como obras divinas. Está tudo errado! A Boa Notícia – a vinda de Jesus – traz alegria ao nosso coração, tira-nos da condenação e nos leva a um regozijo excepcional. Além disso, a mensagem do Evangelho abre nossos olhos espirituais e nos dá prosperidade, cura e solução para todos os problemas. Por isso, embora a religião e a tradição tenham impedido o Pai de operar no meio dos Seus, nós, cristãos, precisamos aprender a andar de acordo com Sua Palavra, e não segundo a tradição religiosa. O pregador que vive brigando com a congregação não está fazendo a obra de Deus, mas a sua própria. Esse ministro do Evangelho precisa compreender que a igreja não é dele, mas, sim, do Senhor. Todos deveriam ser ensinados pelo Altíssimo, pois nós, os pregadores, somos meros porta-vozes do recado divino. Porém, milhares de pessoas têm sido enganadas! Muitos hinos falam de tristeza, e diversos sermões são negativos e ensinam erroneamente que a resposta é o choro, que a vida é dura e só por misericórdia conseguimos aguentar as mais difíceis situações. O ministério de Jesus, no entanto, era diferente. O Mestre alegrava o coração dos pecadores, curava-os, perdoava-lhes os pecados e até aceitava convites para comer na casa das pessoas (Lucas 7.34). Lá, Ele mostrava que a vida com Deus era algo sem igual. No versículo que estamos estudando, vemos que, tão logo a Palavra foi lida e explicada, o pranto começou. Os levitas ficaram bravos e fizeram com que parassem com aquela choradeira. Eles disseram que o dia era santo e todos deviam festejar. E hoje, por que chorar, se Jesus venceu? Se tomarmos a alegria do Senhor, seremos fortes, pois ela é a nossa força. Então, não aceite nenhuma mensagem negativa, pois elas falam de sofrimento, não de vitória. Aquilo em que cremos é o que nos acontece. Se você acreditar que ficar com os olhos inchados de tanto chorar é o que agrada a Deus, o diabo fará a festa. Limpe seus olhos, sorria e alegre-se, pois você foi aceito no plano de Deus, e das mãos dEle ninguém pode tirá-lo mais (João 10.27-30). Em Cristo, você é mais, eternamente mais que vencedor (Romanos 8.31-39). Em Cristo, com amor, R. R. Soares

06 janeiro 2011

CAPACITA OS ESCOLHIDOS

“Deus sempre capacitará aqueles que escolhe”. Conta certa história que estavam duas crianças estavam patinando num lago congelado. Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam despreocupadas. De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou. A outra, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e libertar o amigo. Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino: - Como você conseguiu fazer isso? É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis! Nesse instante, um ancião que passava pelo local, comentou: - Eu sei como ele conseguiu. Todos perguntaram: - Pode nos dizer como? - É simples – respondeu o velho. - Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz.

“Deus nos fez perfeitos e não escolhe os capacitados,

CAPACITA OS ESCOLHIDOS. Fazer ou não fazer algo só depende de nossa vontade e perseverança Mt 22:14- Porque muitos são chamados. MAS POUCOS OS ESCOLHIDOS.

Confie…

As coisas acontecem na hora certa. Exatamente quando devem acontecer! Momentos felizes, louve a Deus. Momentos difíceis, busque a Deus. Momentos silenciosos, adore a Deus. Momentos dolorosos, confie em Deus. Cada momento, agradeça a Deus.

FONTE: Portal dos Evangélicos

http://www.portaldosevangelicos.com.br

Sede vós, pois, perfeitos

“Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai, que está nos céus” (Mateus 5.48).


As ordens do Senhor devem sempre ser obedecidas, e Ele jamais pediria que fôssemos perfeitos se isso não fosse possível. Quem é inteligente e deseja vencer as batalhas da vida deve aprender que pesa, sobre todos os mandamentos de Deus, a obrigação de chegarmos à perfeição, assim como Jesus chegou. Ele é perfeito em tudo: no pensar, no falar, no agir, no amar e no cumprir de Suas promessas. Jamais o Senhor foi ou será imperfeito.
Jesus disse que provamos que O amamos ao guardarmos Seus mandamentos (João 14.15,21), o que temos de fazer com perfeição. Por isso, não podemos agir de qualquer maneira e esperar que Ele cumpra o que prometeu, embora Ele nos ame antes mesmo de nós O amarmos (1 João 4.19). Então, analise se você tem obedecido ao que o Senhor ordena, como tem agido diante do que Ele promete ou quando repreende alguma atitude. Até aceitar a repreensão do Senhor e deixar o mau caminho são atitudes que devem ser tomadas de todo o coração, com perfeição.
Pela exatidão das palavras de Jesus, vemos que o modo como fazemos a obra de Deus conta muito, já que Ele não aceita que sejamos imperfeitos em executar a missão destinada a nós. O homem de Deus precisa ser como aqueles 300 de Gideão, que beberam a água como os cães o fazem (Juízes 7.7). Apenas os que se rendem completamente ao Espírito de Deus são aprovados para as batalhas do Senhor. Portanto, examine-se e veja se tem feito um esforço para realizar com louvor o que lhe é confiado. Se tem agido diferente, é melhor se consertar, aprimorando a maneira de proceder na obra de Deus.
Para o Senhor, nossa palavra tem de ser sim, sim e não, não, pois o que passa disso é de procedência maligna (Mateus 5.37). Isso significa que não devemos participar de nada que vem do inimigo; em vez disso, devemos ser como Jesus, o qual afirmava que o diabo não tinha nada nEle (João 14.30). Se Satanás encontrar uma brecha em sua vida, por menor que seja, usará suas garras, e você padecerá muito. Portanto, examine seus pensamentos, desejos e suas vontades, e analise aquilo em que crê. Se houver algo do maligno, peça perdão e corrija seu comportamento. O homem se torna servo daquele a quem obedece.
Pela Palavra, aprendemos também que devemos ser imitadores de Jesus (1 Coríntios 11.1), porque Ele nos quer sob Seu domínio, em perfeição, fazendo Sua vontade, como Ele faria se estivesse em nosso lugar. Então, quando você orar para reivindicar algo que a Escritura promete, não o faça com o coração dividido, mas, sim, com todas as suas forças, com coragem e disposição, de modo perfeito.
Quem agir por conta própria não será bem-sucedido, e Deus Se agrada com nosso sucesso. Além disso, se, em alguma de nossas decisões ou ações, não formos perfeitos, não estaremos agradando a Deus. Ele fica feliz em nos ver agindo como Ele.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Era uma vez um depósito de vasos quebrados

Ninguém se importava com eles. Eles mesmos não se importavam por estar quebrados, ao contrário, quanto mais quebrados ficavam, mais eram respeitados pelos outros.

Um dia, por engano, um vaso inteiro foi parar no meio dos vasos quebrados, mas, por ser diferente dos demais, de imediato ele foi rejeitado e hostilizado. Justo ele, que tinha uma necessidade miserável de ser aceito.


Tentou se aproximar dos vasos menos danificados, aqueles que tinham apenas a boca rachada, mas, não deu certo. Depois, procurou se aproximar dos vasos que tinham apenas um pequeno furo na barriga, mas, também foi repelido. Tentou uma terceira vez, com os vasos que estavam trincados na base, mas, não adiantou.

Resolveu, então, arranjar umas brigas, esperando conseguir um ferimento, um risco, uma trinca ou, quem sabe, com um pouco de sorte, até um quebrado bacana, mas, naquele lugar, ninguém tinha força bastante para quebrar os outros. Se algum vaso quisesse se quebrar, tinha que fazer isso sozinho.

E foi isso mesmo que ele fez. E conseguiu o que queria, ser aceito no clube dos vasos quebrados.

Ficou feliz, realizado, mas, não por muito tempo, pois, logo começou a se incomodar com uma outra necessidade, a de ser respeitado pelos demais vasos quebrados.

Para isso, teve que ir-se quebrando. E se quebrou em tantos pedaços que voltou ao pó.

E deixou de ser vaso!

Não vos enganeis. As más companhias
corrompem os bons costumes.
I Coríntios 15.33

fonte: Pr Ronaldo Alves Franco