Os que seguem a JESUS

28 março 2011

A Flor Da Rebeldia


O Senhor determinará que a bênção esteja nos teus celeiros, em tudo o que puseres a mão; e te abençoará na terra que te dá o Senhor teu Deus. O Senhor te constituirá para si em povo santo, como te tem jurado, quando guardares os mandamentos do Senhor teu Deus, e andares nos seus caminhos. (Dt 28:8-9)

A relevância da mensagem está ligada à obediência. A Palavra é como remédio, só faz efeito quando usado corretamente. É preciso conhecer bem o diagnóstico para se fazer o tratamento. É preciso conhecer o organismo para se ministrar a dosagem certa. É preciso conhecer bem os medicamentos, sua composição, seus efeitos, para receitar o remédio certo.

O símile é bom, pois há muita gente enferma pelo pecado. Pecado, uma vez consumado, gera a morte. Pecado adoece as pessoas, transtorna as pessoas, traz desequilíbrios emocionais, mentais, físicos e espirituais. E só há um remédio: a obediência à Palavra de Deus. Para cada caso, Deus tem uma Palavra clara, incisiva, precisa, relevante e atual. É só obedecer à Palavra de Deus.

O texto em epígrafe fala das bênçãos advindas da obediência à Palavra de Deus, à Lei de Deus, ao próprio Deus. A desobediência, a rebeldia contra a vontade de Deus e o viver fora do Seu plano trazem maldições.

A mensagem é relevante, quando responde a reais necessidades, a perguntas que estão sendo feitas e ajuda na solução de problemas existentes.

Um pregador precisa conhecer bem o seu assunto, conhecer bem a sua Bíblia, ter intimidade com Deus e ser iluminado pelo Espírito Santo. Precisa ser sensível ao contexto cultural, histórico e lingüístico para que a sua mensagem, vinda de Deus, seja atual, relevante e contextualizada. Não basta ter conhecimentos, é preciso ter unção.
Mensagem: relevante e contextualizada (Paulo Vendrami)






Alguns versículos que falam sobre a rebeldia

http://www.estudosdabiblia.net


Salmos 78 - 82



Deus é o pastor de Israel, um povo rebelde e desobediente. Estes Salmos relatam exemplos históricos desde o Egito até o cativeiro babilônico, mostrando como Deus fazia maravilhas e o povo se rebelava. São Salmos que mostram o
arrependimento do povo e a sua dependência de Deus. Os autores perguntam sobre a vingança divina que caiu sobre Israel, e pedem a retribuição contra os inimigos. Pedem proteção, misericórdia e salvação.

Salmo 78 Ensinar o Que Aprendeu dos Pais

Este Salmo é uma lição sobre a fé baseada na história das obras de Deus. Traça a história de Israel, do Egito ao reinado de Salomão, frisando a importância de lembrar das coisas feitas no passado para transmitir aos descendentes a mensagem da grandeza e da fidelidade de Deus. Serve como exemplo instrutivo para os servos de Deus nos dias de hoje. Na sua leitura, preste atenção aos temas de rebeldia, fé (crença) e confiança.

1-4 Asafe chama os israelitas a transmitirem as mensagens do passado, falando das maravilhas que Deus fez

5-8 Deus ordenou que os pais ensinassem os seus filhos e confiassem nele, para não repetirem os erros do passado (veja Deuteronômio 6:5-9; Efésios 6:4). O contraste dos versículos 7 (confiança e obediência) e 8 (rebeldia e infidelidade) bem representa o tema deste Salmo

9-11 Os filhos de Efraim são citados como exemplo de rebeldia e falta de fé. Não sabemos se ele tinha em mente aqui uma ocasião específica de covardia e falta de confiança no Senhor, mas sabemos que Efraim, uma das maiores tribos, freqüentemente se opunha aos servos de Deus nas gerações anteriores. Bem antes da divisão do reino, que aconteceu logo após a morte de Salomão, já houve uma certa dissensão em Israel

12-20 Apesar dos sinais que Deus realizou diante o povo de Israel, a nação se mostrou rebelde e obstinada. Estes versículos traçam a história dos sinais e pragas no Egito (12), à divisão do Mar Vermelho (13), ao início da jornada no deserto, em que Deus os guiou e lhes providenciou água (14-16). Mesmo assim, o povo foi rebelde e reclamou sobre tudo que Deus fez, sempre querendo algo mais e alguma coisa melhor (17-20)

21-31 Deus ficou indignado com o povo infiel, mas não deixou de abençoá-lo. Ele lhes deu o maná (24) e os codornizes (27). Mesmo assim, o povo ingrato trouxe sobre si a ira de Deus (30-31)

32-39 O pecado contínuo trouxe a conseqüência de morte sobre o povo. Quando encararam esta conseqüência, voltaram a Deus, mas o arrependimento deles era só da boca para fora. Nestes versículos, Asafe deixa bem claro que o povo não foi fiel, mas que Deus sempre foi misericordioso para com eles, apesar da rebeldia de Israel

40-58 O povo se mostrou rebelde repetidas vezes, apesar de todas as provas do poder e da fidelidade de Deus. Foram infiéis no deserto, esquecendo de todas as obras que Deus realizou no Egito. Aqui ele cita diversas pragas, incluindo a 1ª (44), a 2ª (45), a 4ª (45), a 7ª (47), a 8ª (46) e a 10ª (51). Continua as provas históricas com a divisão do Mar Vermelho (53), os sinais no monte Sinai (54) e a conquista da terra prometida (55). “Ainda assim”, foram rebeldes, desobedientes e idólatras (56-58)

59-64 A longa história de rebeldia por parte de Israel foi motivo dos castigos que Deus trouxe na época dos juízes (59-64). Ele inclui aqui os problemas da época de Eli e Samuel (60-61)

65-72 Deus despertou e salvou o povo novamente. A obra salvadora incluiu a escolha de Judá como a tribo real, de Sião (Jerusalém) e do templo como lugar de adoração, e especificamente de Davi como bondoso pastor de seu povo. Obs.: Pastores, hoje em dia, devem pensar bem no significado dos versículos 71 e 72. Deus exige menos dos homens que pastoreiam seu rebanho hoje?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prov.11/28 Uma vida dedicada às coisas materiais é morta, um tronco cortado; Uma vida moldada por Deus é uma árvore florescente.
Jesus te ama
e eu também te amo.