Os que seguem a JESUS

30 abril 2010

A FÁBULA DA ÁGUIA E DA GALINHA

Esta é uma história que vem de um pequeno país da África Ocidental, Gana, narrada por um educador popular, James Aggrey, nos inícios deste século, quando se davam os embates pela descolonização. DEUS nos faça pensar sempre a respeito.

"Era uma vez um camponês que foi à floresta vizinha apanhar um pássaro, a fim de mantê-lo cativo em casa. Conseguiu pegar um filhote de águia.
Colocou-o no galinheiro junto às galinhas. Cresceu como uma galinha.
Depois de cinco anos, esse homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista.
Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:
- Esse pássaro aí não é uma galinha. É uma águia.
- De fato, disse o homem.- É uma águia. Mas eu a criei como galinha. Ela não é mais águia. É uma galinha como as outras.
- Não, retrucou o naturalista.- Ela é e será sempre uma águia. Este coração a fará um dia voar às alturas.
- Não, insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.
Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e, desafiando-a, disse:
- Já que você de fato é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, então abra suas asas e voe!
A águia ficou sentada sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas.
O camponês comentou:
- Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha!
- Não, tornou a insistir o naturalista. - Ela é uma águia. E uma águia sempre será uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã.
No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa.
Sussurrou-lhe:
- Águia, já que você é uma águia, abra suas asas e voe!
Mas, quando a águia viu lá embaixo as galinhas ciscando o chão, pulou e foi parar junto delas.
O camponês sorriu e voltou a carga:
- Eu havia lhe dito, ela virou galinha!
- Não, respondeu firmemente o naturalista. - Ela é águia e possui sempre um coração de águia. Vamos experimentar ainda uma última vez. Amanhã a farei voar.
No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram-na para o alto de uma montanha. O sol estava nascendo e
dourava os picos das montanhas.
O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe:
- Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra suas asas e voe!
A águia olhou ao redor. Tremia, como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então, o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, de sorte que seus olhos pudessem se encher de claridade e ganhar as dimensões do vasto horizonte.
Foi quando ela abriu suas potentes asas.
Ergueu-se, soberana, sobre si mesma. E começou a voar, a voar para o alto e voar cada vez mais para o alto.
Voou. “E nunca mais retornou.”

Existem pessoas que nos fazem pensar como galinhas. E ainda até pensamos
que somos efetivamente galinhas. Porém é preciso ser águia. Abrir as asas e voar. Voar como as águias. E jamais se contentar com os grãos que jogam aos pés para ciscar.”


Extraído de artigo publicado pela Folha de São Paulo, por Leonardo Boff, teólogo, escritor e professor de ética da UERJ.

O SILÊNCIO DE CRISTO

Uma antiga lenda norueguesa narra este episódio sobre um homem chamado Haakon, que cuidava de uma ermida à qual muita gente vinha orar com devoção. Nesta ermida havia uma cruz muito antiga, e muitos vinham ali para pedir a Cristo que fizesse algum milagre. Certo dia, o eremita Haakon quis também pedir-lhe um favor. Impulsionava-o um sentimento generoso. Ajoelhou-se diante da cruz e disse:

- Senhor, quero padecer por vós. Deixai-me ocupar o teu lugar. Quero substituir-vos na Cruz.

E permaneceu com o olhar pendente da cruz, como quem espera uma resposta.O Senhor abriu os lábios e falou. As suas palavras caíam do alto, sussurrantes e admoestadoras:

- Meu servo, cedo ao teu desejo, mas com uma condição.
- Qual é, Senhor? - perguntou Haakon com acento suplicante. - É uma condição difícil? Estou disposto a cumpri-la com a tua ajuda!
- Escuta-me: Aconteça o que acontecer, e vejas tu o que vires, deves guardar sempre o silêncio. - Haakon respondeu:
- Prometo-o, Senhor!

E fizeram a troca sem que ninguém o percebesse.
Ninguém reconheceu o eremita pendente da cruz; quanto ao Senhor, ocupava o lugar de Haakon. Durante muito tempo, este conseguiu cumprir o seu compromisso e não disse nada a ninguém. Certo dia, porém, chegou um rico. Depois de orar, deixou ali esquecida a sua bolsa. Haakon viu-o e calou.
Também não disse nada quando um pobre, que veio duas horas mais tarde, se apropriou da bolsa do rico. E também não quando um rapaz se prostrou diante dele pouco depois para pedir-lhe a sua graça antes de empreender uma longa viagem.

Nesse momento, porém, o rico tornou a entrar em busca da bolsa. Como não encontrasse, pensou que o rapaz que estava orando teria se apropriado dela; Voltou-se para ele e interpelou com raiva:

- Dá-me a bolsa que me roubaste! - O jovem, surpreso, replicou-lhe:
- Não roubei nenhuma bolsa!
- Não mintas; devolve-me já!
- Repito que não apanhei nenhuma bolsa! - O rico arremeteu furioso contra ele. Soou então uma voz forte:

- Para!
O rico olhou para cima e viu que a imagem lhe falava. Haakon, que não conseguiu permanecer em silêncio diante daquela injustiça, gritou-lhe, defendeu o jovem e censurou o rico pela falsa acusação. Este ficou aniquilado e saiu da ermida. E o jovem saiu também porque tinha pressa para empreender a sua viagem. Quando a ermida ficou vazia, Cristo dirigiu-se ao seu servo e disse-lhe:

- Desce da Cruz. Não serves para ocupar o meu lugar. Não soubeste guardar silêncio.
- Mas, Senhor, como podia eu permitir essa injustiça? - O Senhor continuou a falar-lhe:
- Tu não sabias que era conveniente para o rico perder a bolsa, pois trazia nela o preço da virgindade de uma jovem. O pobre, pelo contrário, tinha necessidade desse dinheiro; quanto ao rapaz que ia receber os golpes, a suas feridas o teriam impedido de fazer a viagem que, para ele, foi fatal: faz uns minutos que o seu barco acaba de soçobrar e que ele se afogou... Tu também não sabias isto; mas Eu sim. E por isso me calo.- E o Senhor tornou a guardar silêncio.

Muitas vezes nos perguntamos por que Deus não nos responde. Por que Deus se cala? Muitos de nós gostaríamos que nos respondesse o que desejamos ouvir, mas Ele não o faz: responde-nos com o silêncio. Deveríamos aprender a escutar esse silêncio. O Divino Silêncio é uma palavra destinada a convencer-nos de que Ele, sim, sabe o que faz. Com o seu silêncio, diz-nos carinhosamente:

"Confia em mim, sei o que é preciso fazer!"


Daniel Ferreira

Você é um projeto de Deus

















Na caminhada da vida...
Sempre há muitos desafios...
surpresas, tristezas e alegrias
a vida e feita assim...(Romanos 12.12.)
As vezes nos deparamos com situações que
nos afligem , nos fazem sentir e até mesmo chorar...
mais saiba por certo que a cada momento da vida,
cada lágrima caída, cada sorriso dado, estar
tudo anotado no diário de Deus...(Salmos 56.8.)
E pode ter certeza que nem um segundo Ele esqueceu de anotar,
anotou suas lutas, seus choros,(Salmos 56.8.)
mais com um detalhe,
Ele não esqueceu de anotar o dia
de sua vitória!(Provérbios. 21.31.)
Então deixa te dizer:
não desista de teus projetos, e sonhos
porque mesmo antes de eles serem
projetados por você, já foi projetado e
anotado por DEUS!
Você é mais q vencedor em Cristo!

Você é santificado?


A santificação é ensinada na Bíblia, tanto no Velho Testamento quanto no Novo. Também é uma doutrina popular de muitos grupos religiosos.

No entanto, a santificação que muitas pessoas religiosas afirmam não é a santificação que é ensinada na Bíblia. Muitas pessoas alegam ser santificadas, alegam receber “santidade instantânea” pela virtude da operação direta do Espírito Santo que, de acordo com suas alegações, remove até a capacidade e vontade de pecar. O Novo Testamento ensina a santificação, mas não ensina nada dessas operações especiais de Deus para santificar as pessoas.


O que é a santificação?

Santificar é separar ou chamar. O termo é usado para referir-se a várias coisas diferentes no Novo Testamento. Comida pode ser santificada (1 Timóteo 4:5). Um homem pode ser santificado para um propósito específico (2 Timóteo 2:21). Até Deus será santificado pelo homem, num sentido (1 Pedro 3:15). Marido e esposa são santificados, num sentido especial, a fim de agradar a Deus. Muitas pessoas, na Bíblia, foram santificadas para Deus.

Como os homens se tornam santificados?


Como os homens e mulheres se tornam santificados? A Bíblia diz que Deus santifica as pessoas: “Judas, servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago, aos chamados, amados em Deus Pai e guardados em Jesus Cristo” (Judas 1). A Bíblia também diz que o Espírito Santo santifica as pessoas: “...Porque Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade” (2 Tessalonicenses 2:13). Romanos 15:16 diz que os gentios foram santificados pelo Espírito. Assim, Deus e o Espírito santificam homens e mulheres. Mas, como? O Espírito age de maneiras misteriosas e miraculosas mudando todo o caráter e os desejos das pessoas instantaneamente? Não! O Espírito santifica homens e mulheres da mesma forma que converte homens e mulheres e guia homens e mulheres por meio da palavra que entregou. Conseqüentemente, a Bíblia fala sobre a palavra santificar as pessoas. “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” (João 17:17). Hebreus 10:10 passa a mesma mensagem. Conforme as pessoas acreditam na mensagem dada pelo Espírito e a obedecem, elas são mudadas e chamadas, ou seja, santificadas. Os homens são lavados, santificados e justificados (1 Coríntios 6:11).

Quem são os santificados?

No Novo Testamento, as pessoas que eram santificadas eram as mesmas que obedeciam o evangelho e se tornaram cristãos. Observe Atos 18:8: “...também muitos dos coríntios, ouvindo, criam e eram batizados”. Estas eram as pessoas que, mais tarde, seriam chamadas de santificados (1 Coríntios 6:11). Como esses eram santificados, foram chamados pelo termo. Eram chamados de santos (1 Coríntios 1:2). Todo o povo de Deus hoje é um povo santificado.

Nem sempre sem pecado

É significante observar que, na Bíblia, as pessoas santificadas nem sempre eram sem pecado. Esses que foram santificados às vezes eram contenciosos (1 Coríntios 1:11). Também foi dito que eram carnais, apesar de serem santificados (1 Coríntios 3:1-6). Pelo menos uma pessoa santificada era culpada de cometer fornicação (1 Coríntios 5:1). Muitos desses santificados profanaram a Ceia do Senhor e agiram com desordem na adoração (1 Coríntios 11:20-30). Faltavam muito para serem perfeitos e sem pecado. É claro que isso é uma das diferenças entre uma pessoa santificada na Bíblia e uma pessoa santificada em alguns grupos religiosos hoje em dia.



Todos os cristãos são santificados

Todos os cristãos devem ser santos e sempre buscar fazer o que é certo. No entanto, todos os cristãos pecam e não chegam à perfeição. “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós” (1 João 1:7-10).

–por Curtis E. Flatt


29 abril 2010

RAÍZES SANTAS

"E, se forem santas as primícias da massa, igualmente o será a sua totalidade; se for santa a raiz, também os ramos o serão". - Romanos 11.16

Com base nesta afirmação bíblica, Andrew Murray declara em seu livro “A Vida Interior” o seguinte: “Se as primeiras horas da manhã forem consagradas ao Senhor, o restante do dia com as suas diversas tarefas também o será”. Ele chamava a prática deste princípio de “a hora matinal”. Acredito piamente neste princípio. Se santificarmos as primícias do dia, santificamos o dia todo!



20 abril 2010

O Senhor é o meu pastor

"O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome." Salmos 23:1-3



....... Verdes pastos, águas tranqüilas, refrigério para a alma, como isso soa bem, como Deus é bom. Quando chegamos ao ponto que não conseguimos continuar, o poder sobrenatural de Deus nos dá a força necessária para prosseguir. Quando estamos numa luta difícil, a graça do Senhor nos alcança e nos sustenta para continuarmos em direção à vitória.


14 abril 2010

Fazendo a vontade de Deus !

1 Crônicas 4:10 - Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.


...Quando nossos corações estão sintonizados à vontade de Deus e ansiosos para honrá-lo, é o prazer do nosso Pai nos abençoar poderosamente. Então, vamos entregar primeiro nossos corações para fazer a vontade dEle. Então, não tenhamos medo de pedir que Deus derrame suas bênçãos sobre outros. Vamos também compartilhar com Ele os desejos dos nossos corações. E por fim, não vamos ficar surpresos com as bênçãos que Ele nos dá!

01 abril 2010

Se você for...



















... ao túmulo de Alan Kardec na França, lá estará escrito:

"Aqui jaz ossos mortais de Alan Kardec"
Se for ao túmulo de Siddharta Gautama, conhecido como Buda, na Índia, está escrito:
"Aqui repousa os ossos mortais de Buda"
Se você for ao túmulo de Maomé em Meca, lá estará escrito:
"Aqui jaz os ossos mortais de Maomé"
Mas se você for ao jazido de Jesus em Jerusalém, está escrito:
"ELE NÃO ESTÁ AQUI, POIS RESSUSCITOU" Mt 28:5-6

Vi no Blog do Eder Barbosa

Tudo se fez bom

"Porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças. Porque pela palavra de Deus e pela oração é santificada. " 1 Timóteo 4:4-5


....... Tudo que Deus faz é bom, porque nEle não é possível encontrar maldade. No entanto nós fomos contaminados pelo mal devido ao pecado original, por isso devemos buscar a santificação, não somente como uma opção para a vida cristã, mas porque esta é a vontade de Deus para os seus filhos.